18 novembro, 2010

Cuba

                 Num momento de falta de ter o que fazer resolvi visitar wikipédia, fui ler o artigo em português sobre Cuba. Resolvi ler porque recentemente uma amiga esteve no país e também pela recente matéria que li na internet sobre a falta de papel higienico na ilha. A ilha de Fidel tem um histórico interessante, antes da revolução foram colônia espanhola e foi por pressão dos EUA que romperam laço com os antigos conquistadores. Romperam um laço para se amarrar em outro, os EUA participaram de todo processo e se encarregaram de colocar na constituição daquele país uma determinação de que as decisões de Cuba teriam que ser tomadas com o aval norte americano. Cuba rompeu com a ditadura de Fungencio Batista durante a revolução de Fidel Castro, promoveram uma mudança profunda, e que é uma das poucas republicas socialistas ainda em atividade. Os EUA ficaram muito contrariados, pois seus investidores com bens na ilha não sabiam como lidar com um governo soberano e que tinha como principal interesse o bem estar das massas, ou seja, muitos americanos perderam seus investimentos por não saber jogar o jogo de Fidel.

                    Por que uma ilha incomoda tanto o império norte-americano, ao ponto de que as barreiras comerciais estarem até hoje mantidas? Simples: Cuba tem a resposta para decadência do capitalismo, esse que promove a riqueza na mesma medida que joga uma grande fatia dos povos na miséria. Talvez a explicação do "sucesso" do capitalismo é porque ele representa como nenhum outro sistema nossa natureza predatória e de subjugação do individuo por seu semelhante.
                    
                   Vemos os argumentos de que se Cuba estivesse dentro do sistema, como os demais países, seria muito mais desenvolvido. Acredito que isso é uma grande mentira. Não podemos comparar o capitalismo que se instalaria em Cuba com o capitalismo de países ricos, por isso é bom compara-lo com países semelhantes, isso por si só já mostra que Cuba está no caminho certo, já que seu IDH é um dos maiores da américa, sua saúde é referência no mundo e seus estudantes conseguem com facilidade superar a maioria dos demais americanos(do sul, centro e norte), tudo isso bancado pelo governo, que por um lado não promove a criação de riquezas e por outro não produz a desigualdade galopante dos capitalistas.

                  No momento que vivo achei interessante saber que não existe um mercado imobiliário relevante em Cuba, é compromisso do governo prover a habitação, com aluguéis de preço simbólico que ao atingir o valor do imóvel acabam se tornando propriedade do cidadão. Ou seja, comparando com seus pares(países pobres) Cuba vai muito bem obrigado, por essas e outras termino com uma frase de Fidel Castro:

"...esta noite milhões de crianças vão dormir na rua no mundo todo. Nenhuma delas é cubana."


abraços!

24 maio, 2010

É ou não é?

 O virtual torna o regional global e expõe que o tosco agrada em qualquer lugar...

http://www.youtube.com/watch?v=lp_PIjc2ga4&feature=related

21 maio, 2010

To pensando ae...

Diretamente de Cubatão para o seu coração...

Pois bem, o hotel fica bem na frente de uma igreja, uma Congregação Cristã, pra muitas pessoas isso pode ser irrelevante, pra outras tantas irritante, pra mim é reflexivo. Irritantemente reflexivo, porque tudo que tange o espiritual mexe com a dimensão do transcedental e não consigo ficar indiferente ao que tange esse lado da existencia. Sou racional demais. Tenho muita dificuldade em aceitar qualquer filosofia pronta, "pero" racional de menos pra acreditar que somos meras coincidências sem lógica num universo entre muitos. Do nada pra lugar nenhum. Talvez pensar assim seja mais comodo até do que aceitar os ensinamentos religiosos sem pestanejar, não acreditar em nada, quem diria, pode ter suas semelhanças no que diz respeito a valvula de escape de quem acredita em tudo.

xoxoxoxoxoxoxoxoxox

O que move as pessoas? Não conseguimos responder a essa pergunta com facilidade, porém da pra ver que o mundo é movido por e em função do dinheiro. Digo isso porque hoje, mais do que a algum tempo atrás, consigo ver o tanto que a econômia macro, de mercado, impacta na nossa vida cotidiana. Por isso cabe uma reflexão, se o mundo é movido em função do dinheiro e é coerente afirmar que as pessoas movem o mundo, logo, nossa rotina é fazer essa roda girar, no blues da distração.

Por isso o caos...

É disso que temos medo, da hora que não pudermos mais ajudar, quando nos tornarmos invalidos pra manutenção dessa engrenagem. E é inevitavel, é irremediavel, não tem outro e alguns afirmam que é a melhor forma possível. E quer saber sinceramente? Não sei, prefiro achar que não, mas de verdade não sei se essa vida louca, essa destruição e necessidade voraz que fazem nosso sistema funcionar são o pior ou o melhor dos mundos.

PS: Obrigado pelos comentários, e pelas...não sei dizer...selos que vocês tem nos dado, espero retribuir assim que puder sentar com mais tempo na frente do PC. Vou retribuir, preciso deixar de ser nOObiE e usar a net mais plenamente...mas valeu mesmo pessoal.

17 maio, 2010

amanhã é amanhã

Lembro-me de algum lugar onde dizia que a gente só escreve na dor.

Poisé.

Agora que o chão abriu e eu fiquei entre o buraco sem saber se caía ou se tentava me escorar em algum dos lados, nessa hora, a única coisa que pensei foi em abrir aqui.
Todo fim de qualquer coisa é assim, dolorido dolorido mas é como algum trecho de caio fernando que dizia que as dores vão ficando cada vez mais facilmente superadas, há uma calmaria e uma mansidão nessa dor que assusta. talvez pelo pressentimento ou talvez pela naturalidade de tudo que aconteceu, um acaso ocorrendo inesperadamente e desesperadamente que não tinha como ir muito adiante. racionalmente faz tudo tanto sentido e por isso acaba sendo tão bom "falar", até pra mascarar a dor que não quero sentir, esse sentimento irracional de inferioridade e mea culpa e todo o medo do nunca mais.

na verdade tudo que eu escreveria a partir de agora seria um plágio disso:

"...Mas se eu tivesse ficado, teria sido diferente? Melhor interromper o processo em meio: quando se conhece o fim, quando se sabe que doerá muito mais — por que ir em frente? Não há sentido: melhor escapar deixando uma lembrança qualquer, lenço esquecido numa gaveta, camisa jogada na cadeira, uma fotografia — qualquer coisa que depois de muito tempo a gente possa olhar e sorrir, mesmo sem saber por quê. Melhor do que não sobrar nada, e que esse nada seja áspero como um tempo perdido.
Tinha terminado, então. Porque a gente, alguma coisa dentro da gente, sempre sabe exatamente quando termina.
Mas de tudo isso, me ficaram coisas tão boas. Uma lembrança boa de você, uma vontade de cuidar melhor de mim, de ser melhor para mim e para os outros. De não morrer, de não sufocar, de continuar sentindo encantamento por alguma outra pessoa que o futuro trará, porque sempre traz, e então não repetir nenhum comportamento. Ser novo..."
caio fernando abreu

e a vida continua...

28 abril, 2010

Como será o amanhã?

Com essa pergunta do título começo esse texto sem saber o que escrever.

Engraçado, a gente faz planos, a gente idealiza, mas concretizar mesmo não depende só da gente. O mar de possibilidades que temos à frente já anuncia, qualquer palpite sobre onde estaremos daqui, sei lá, dez anos tem grandes chances de não se concretizar.

Dúvida?

Então pensa comigo, em 2000, dez anos atrás,  você planejava estar ai onde está? Era isso que você queria ou pelo menos imaginava ser o caminho lógico do seu destino? Eu não, arrisco dizer que sequer sou aquela pessoa que era em 2000. Eu sou o resultado de ano após ano desde 1984 até hoje, e foi tudo que vivi que me tornou o que sou hoje, mas não sou mais aquilo, justamente porque a vida vai mudando a gente, talvez por isso me irrite tanto as pessoas que são muito certas sobre suas verdades. Elas também mudam, e continuaram mudando, porém não percebem, acham que estão firmes em seus planos iniciais, não se dão conta que o desafio de levantar da cama todo dia no expõe a circunstâncias que vão mudando nosso pensar, acabando com nossa ingenuidade e dando novas formas aos nossos anseios. Já li em algum lugar: Um homem nunca entra duas vezes em um rio, quando entra novamente não é o mesmo rio, nem o mesmo homem.

E pra que serve pensar sobre isso?

Não sei...

22 abril, 2010

Imagens Surreais







Desculpa o sumiço. Falta de idéias, falta do que falar.
Apreciem as imagens...

25 março, 2010

Musica para alto falante.

É isso ai caro amigo leitor do café com tosse.

Maria da 2ª Distração e Sapatos Retrô amanhã no Cão Perere, em Marilia (av. Saudade, 99). Essa dobradinha já é a tradicionalmente conhecida "Maria Sapatão" e se tudo der certo vamos abrir com uma jam com a galera de ambas as bandas improvisando pra subir.

Como tenho feito, aqui vai mais uma composição minha que já está no repertório da banda.




ABRAÇOS

MESMO QUANDO É RUIM AINDA É MUITO BOM
TER VOCÊ AO LADO SEGURAR SUA MÃO
EU TENTO A MUITO TEMPO TER VOCÊ AQUI
E DEPOIS QUANDO ABRAÇADOS AINDA TE FAÇO RIR
(refrão)

NO FIM DAS CONTAS EU NÃO QUERO ESTAR SOZINHO
E VOCÊ PARECE ME ENTENDER
A VIDA PASSA TÃO LIGEIRA E SEM RAZÃO                                                                 refrão
MAS QUANDO ESTAMOS JUNTOS É UMA CELEBRAÇÃO

EU NÃO QUERO PROMETER QUE NUNCA VOU TE DEIXAR
NA VERDADE PROMETER JÁ É O PRINCIPIO DE ENGANAR
E ISSO EU NÃO QUERO E NÃO VOU FAZER
SOMOS BEM CRESCIDOS PRA PODER ARRISCAR
(refrão)

*-*

A MP3 dessa musica está disponivel no www.myspace.com/mariadasegundadistracao

24 março, 2010

Não VEJA

Recebi uma edição da Veja de uma amiga do trabalho, pois ela julgou que seria do meu interesse ler a matéria de capa, sobre o assassinato do cartunista Glauco. Que infelicidade ver que aquela revista influência o pensamento de grande parte da nossa população, e na realidade que vivemos não podemos negar que é a parte que importa, a famigerada "classe-média", ou seja, a consumista que faz a roda girar.


Mestre Irinineu. Pioneiro do Daime

O artigo em questão foi lamentável do começo ao fim, pois era o puro creme da panfletagem contra a liberdade religiosa no nosso país. Tratava a questão do Daime como uma droga qualquer, escondeu tudo que poderia ser tido como benéfico na doutrina daimista, que não é pouco, e fez vista grossa para todos os problemas que já acometiam o assassino do cartunista antes do seu contato com o chá. Viciado, com histórico familiar de esquizofrenia e por ultimo, mas nem por isso menos importante, filho da geração sem valores que só vê importância no dinheiro. Sim, isso a Veja jamais teria "cu" pra questionar, afinal ganha a vida promovendo o consumo e fala direto a pessoas que, como os pais do assassino, acreditam que fazem sua parte apenas bancando escolas caras, roupas da moda e tudo que o dinheiro pode comprar, mas omissos na convivência familiar e ao impor limites aos pequenos.


Guerras e massacres religiosos

Vamos pensar um pouco. Condenar uma expressão religiosa e seus sacramentos por um caso isolado é coerente? Pois se julgarmos que sim, acabou a religião no nosso mundo. Vamos pegar por exemplo duas religiões bastante populares no nosso mundo ocidental. Católicos e protestantes já causaram guerras, que mataram muito mais que um cartunista, e o pior, não podemos nem alegar que foi por causa de uma substância que eles ingeriram, elas enlouquecem pessoas caretas. Não estou dizendo que elas devem ser extintas, quero dizer é que não julga nenhuma causa por seus extremos. Por que a revista não entrevistou alguns dos 15.000 (segundo a revista) seguidores da doutrina? Os poucos que tive oportunidade de conhecer foram unanimes em dizer o quanto o Daime melhorou suas vidas, seus relacionamentos e não foi em poucos casos que a experiência ajudou a curar dependentes de droga(num momento em que o crack, com tanto potencial viciante, toma proporções de epidemia não seria isso uma boa notícia?). A verdade é que a Veja não esta preparada pra lidar com questões transcendentes, pros editores da revista é impensável acreditar que uma experiência religiosa pode mudar a vida de alguém. Mas acreditar que o sucesso financeiro pode fazer isso é muita ingenuidade, muita ganância. Taí os EUA, maiores consumidores de drogas do mundo(e isso sem nenhum fundo religioso, meramente recreativo) que não nos deixa mentir.


Liberdade pra expressar nossa espiritualidade

Não importa nossa religião, o importante é prezar pela liberdade religiosa. Liberdade a todos e para todos.

10 março, 2010

Saindo do motel...

Acabei de receber um e-mail, pensei um pouco, ri sozinho e resolvi compartilhar.

No e-mail dizia que tinham fotos minhas em anexo muito comprometedoras, no motel, saindo do motel e blablabla. Fiquei olhando pra tela e pensei, "bem que eu queria que você tivesse falando a verdade seu e-mailzinho de mierda". Pô adoraria ter saído de um motel nos ultimos tempos e muito mais que isso me comprometesse, porque era sinal de que alguem se importava com a minha presença no motel com outra pessoa...mas enfim...será que tem gente que cai nesses e-mails?
Acho que não. Nem mesmo quem frequentou motel nos ultimos tempos.

08 março, 2010

Mulheres

Hoje se comemora o dia da mulher, por isso quero parabenizar a todas que lêem este blog, também a minha parceira de postagens, Talitissima e enfim todas as mulheres da minha vida, minha mãe, vó, minhas muitas amigas e ex namoradas não tão amigas assim. Vocês fazem o mundo um lugar mais bonito e menos rude. Mulher, não se deixe embrutecer jamais.

É quase inacreditável pensar que a pouco tempo as mulheres não podiam votar, não tinham acesso a todas as esferas da sociedade. Mas o importante é que isso mudou, tudo isso graças a elas, e em especial as mulheres de espirito revolucionário que não aceitavam a falocrácia da sociedade machista.

Tá certo, estamos anos-luz de uma justiça de fato, pois na nossa sociedade que dá valor excessivo ao bem material a liberdade toma ares de prisão, ou estou errado em pensar que é nocívo privar mãe e filho de um convivio durante a infância? Eu acredito que não, acho alias que muitos dos problemas que vemos hoje em crianças problemáticas vem justamente dessa falta de intimidade provocada por uma distância entre pais e filhos. O trabalho que traz riqueza e liberdade, priva a criação de laços mais profundos entre criança e mãe, mas isso é a minha opinião, e com certeza não são todas a mulheres que vão concordar comigo, especialmente aquelas que ainda não passaram pela experiência de deixar seu filho novo aos cuidados de uma creche pela manhã e o busca as 18 horas já esgotada de tanto trabalhar.

O importante é que hoje podemos conversar sobre isso, pois o papel da mulher na sociedade não está definido, ela pode ser o que quiser, e isso é muito bom. Assumir as responsabilidades de ser o que somos, homem ou mulher, compete a nós, afinal nós que vamos pagar por uma opção errada ou certa ao longo de nossas vidas.

Parabéns!

05 março, 2010

04 março, 2010

sobre a arte de auto-sabotar

porque toda mudança por mínima que seja começa assim, você analisa os fatos percebe o que precisa mudar e vai modificando os velhos hábitos aos poucos. um exercício diário de auto-crítica e auto-sugestionamento. porém sempre há a auto-sabotagem.
afinal, algum escapismo daquele planejado acaba acontecendo e taí o grande problema: NÃO pode acontecer.
tá, aconteceu e daí?

daí nada né, só começa de novo toda a análise de porque isso aconteceu mas entra a super contradição de não deixar o acaso levar em algumas circunstâncias que podem ser proveitosas até. ou não.

a questão é que nem consigo analisar ou pensar qualquer coisa agora.

justamente porque aconteceu.
sem mais,

o demônio da sua cabeça.

Meu país...

Pois é, nunca falei sobre isso aqui no blog, mas tenho muito orgulho de ser brasileiro. Nosso país, iluminado ao sol do novo mundo, consegue ser um bom lugar mesmo abrigando tanta gente ruim. O STF está para decidir o desfecho da operação Satiagraha, aquela que condenou Daniel Dantas do grupo Opportunity. A decisão que está pra sair agora pode acabar com todo o trabalho de investigação da PF, que veio a publico em julho de 2008(inocentando o bandido Daniel Dantas e pior, dando jurisprudência pra anulação de investigações, o que fere ainda mais nossa confiança na justiça já tão abalada) e que contou(até seu afastamento) com um dos mais admiraveis funcionários públicos do nosso país, ninguém menos que Protógenes Queiroz. Recomendo a todos que leiam a entrevista dele a revista Caros Amigos aqui .


Até quando esperar?

A entrevista é longa, mas vale a pena pelo efeito que ela tem na nossa percepção de justiça. Em 2010 teremos eleições presidenciais e eu me pergunto, será que esse é o maximo de participação ativa que temos na vida política do país? Simplesmente o voto? É claro que não, e por isso trago aqui a discussão, como podemos cobrar o poder público do país? Como podemos incomodar essas pessoas que pra sustentar seus luxos, suas putas e suas familias de merda usam do dinheiro público? Infelizmente, como eu sempre digo, as pessoas no poder não vieram de outro lugar senão daqui, nosso país, e isso é muito triste pois confirma a eterna vigência da Lei de Gerson, o jeitinho e a falta de carater peculiar a nosso povo. A questão de se tirar vantagem precisa vir a tona, de maneira dura, colocando o peso desse habito em nossos ombros e aceitando que a revolução começa em cada um de nós. Quando calamos, pra não ser inconvenientes as pequenas injustiças do nosso dia-a-dia, estamos sendo coniventes. Pense nisso: Você quer ser agradável ou correto?

Quando não confiamos na justiça é porque o caos está próximo.

03 março, 2010

Blues da Distração

O que te faz ficar parado em frente a televisão
É a mesma força invisivel da loja em liquidação
Fazendo a grande roda girar
No blues da distração

A fila de gente infeliz, esperando a hora chegar
Deixando a vida fugir e a nossa ampulheta zerar
De casa pro trabalho
Da cama pra um grande caixão

Distração não chegue tão perto
Distração você não me pega
Eu conheço suas manhas de longe
Sei também da sua intenção
Ninguém rouba minha vontade
De viver, de lutar, de amar.

*-*

Assista o video dessa musica no link abaixo:
Gravado em Marilia - SP no Cão Perere.

De vez em quando vou colocar minhas composições e videos da minha banda pra quem freqüenta o blog possa conhecer um pouco mais sobre mim, pois falo muito através das letras.
Dia 26 de Março tocaremos novamente no Cão Perere, se você é de Marilia ou proximidades e quiser aparecer por lá pergunte-me como, hehe.

01 março, 2010

You can´t always get what you want

Com o passar do tempo a gente aprende muitas coisas. Aprende que não temos a menor idéia de como a dor dos outros dóem até que nos vemos naquela situação. Que nossa dureza no julgamento vai perdendo essa intensidade toda conforme sentimos em nós o que achavamos tão pequeno, e na verdade não se mostra insignificante como julgamos quando estamos passando por esses espinhos da nossa trajetória.

Você não pode sempre ter o que quer. Conforme-se, por mais que aquilo pareça vital pra você. Na verdade o tempo vai passar, os desejos esfriam e o que sobra é a verdade, e a verdade geralmente nos mostra que nossos desejos eram enganosos, que não estavamos preparados pra lidar com o que tanto buscamos e não tivemos sucesso em obter, conquistar, o que for.

Eu acredito no tempo. O tempo não é um analgésico, ele não tira sua dor na hora que você quer, mas quando você menos espera o pior já passou. Você tem ali uma casquinha, que se você quiser pode arrancar e sentir toda a dor novamente, mas em geral a gente já está traumatizado demais pra querer mexer no machucado, a dor não está mais presente mas a lembrança dela sim. A lembrança é o que não nos deixa cometer os mesmos erros, logo passar pelas experiências nos tornam mais sábios, porém, mais fechados, desconfiados.

Não vale a pena se fechar. Uma vida sem dor, sem casquinha e sem cicatrizações é uma vida sem experiências. Vale a pena envelhecer sem conhecer a vida?

24 fevereiro, 2010

Longe de casa

Estou em viagem pelo trabalho em Campo Grande, minha primeira vez nessa capital e segunda no estado do Mato Grosso do Sul. Gosto de sair de SP, gosto dos paulistas e paulistanos(é claro, sou um deles) mas gosto muito mais de mineiros, sul matogrossenses e rondonenses que são os estados que tive o prazer de estar nos ultimos tempos, paranaense eu não sei dizer pois quando estou no Parana só interajo com pessoas que vem de outros estados. As pessoas que tenho contato por aqui são mais abertas, mais sorridentes e só reforçam minha convicção que felicidade não se compra, felicidade tem muito pouco haver com o que possuimos e tem muito mais haver com como nos relacionamos com outras pessoas. É uma pena que o desenvolvimento, que não podemos ignorar está cada dia mais exuberante no interior do Brasil, provavelmente vai mudar essas caracteristicas, vai tornar as pessoas mais temerosas e fechadas, porém enquanto isso não acontece fico encantado com os pequenos gestos de simpatia que as pessoas lançam por essas bandas. São sorrisos e conversas que nos fazem sentir em casa mesmo tão longe do nosso lar de fato.

22 fevereiro, 2010

Os ventos da mudança...

Ando feliz. Feliz por estar a passar por tantas mudanças. Em breve mudo de casa, rompo com o mundo familiar na melhor hora possível, a hora que estou bem com meus pais, assim sinto que não estou tomando uma atitude de revolta nem de desafio, e sim buscando um amadurecimento que não vou conseguir dentro do seio da familia.

Familia tradicional tirando a mina ali atrás fumando crack

É interessante, ontem consegui explicar claramente pro meu pai o que sinto. Estou sendo preparado pra viver uma vida que não existe mais, que é a vida que meus pais vivem, aquele lance caseiro, com uma esposa dedicada e um marido provedor, num mundo calmo e sereno que não existe mais por ai. Pra que aprender uma vida que não poderei viver, e nem sei se quero viver alias, prefiro a experiência de saber viver só e por opção estar com alguém, sem depender dos conhecimentos e talentos do outro, trocar essa dependência por uma outra, dependência sentimental mesmo, aquele laço que une os casais e que são mais importantes que simplesmente ter uma mulher que cozinha bem(nada contra, alias tudo a favor, mas isso é um detalhe, uma em muitas virtudes que uma parceira pode ou não ter).




No mais tudo em ordem, fim de semana cansativo porém muito bom. Estou meio perdido em relação a meus sentimentos ultimamente, mas acho que a incerteza precisa ser uma aliada minha e parar de me tirar o sono, afinal não tenho controle sobre o futuro e me desgastar tentando prever e antever essas coisas me atrapalha a desempenhar meu papel, aquilo que realmente me cabe fazer. O que posso fazer é me inspirar no ultimo post da Talita e dizer pro que há de vir: "que seja doce". Há de ser.

17 fevereiro, 2010

Acho que estou errado...

           Acho que estou errado. Não sei exatamente onde, mas sei que tenho uma visão equivocada do mundo, e essa intepretação particular minha já está entranhada demais em minha vida. Bom, muitas vezes essa forma diferente de raciocinar me rendeu ótimos pontos de vista e uma visão privilegiada do nosso cotidiano sem graça, mas em geral só me da dor de cabeça.

           Isso é um problema, essa minha racionalidade, que faz tanto sentido pra mim, me faz pensar diferente do pensamento padrão em várias situações, me faz ser confrontado com pessoas que não estão afim de rever seus conceitos e que assim que o meu ponto de vista começa a fazer sentido utilizam-se de desculpas mil pra justificar seus argumentos já um pouco debilitados pelo meu discurso.

           É, mas não faço por gosto e nem pra tentar ser diferente, comecei a mudar meu jeito justamente quando comecei a me abrir pra opiniões diferentes. Acho que até sei quando isso aconteceu, foi no momento que me abri pra uma opinião distinta do que eu já tinha como certo, não rechacei a idéia aquele dia, ouvi. Ouvir vale muito mais que falar, é por isso que as pessoas que ouvem tendem a ouvir cada vez mais, ouvir é um sinal de sabedoria muitas vezes, um exercicio a se praticar.

           Minha dúvida é: o que vale mais, estar certo ou ser aceito?

11 fevereiro, 2010

"Que seja doce!"



"Quando se deseja realmente dizer alguma coisa, as palavras são inúteis. Remexo o cérebro e elas vêm, não raras, mas toneladas. Deixam sempre um gosto de poeira na boca - a poeira do que se tentava expressar, e elas dissolveram. Quanto mais palavras ocorrem para vestir uma idéia, mais essa idéia resiste a ser identificada. As sucessivas roupas sufocam a sua nudez. E todas as palavras são uma grande bolha de sabão, às vezes brilhante, mas circundando o vazio." — Caio Fernando Abreu


A constante contradição entre o dito e o não-dito, ou talvez entre o dito e o subentendido. O medo traz a vontade de expressar, de entender pelo dito o que talvez esteja subentendido. Mas será o subentendido realmente entendido ou apenas assim aparenta ser? O subliminar sempre causa diversas maneiras de interpretação e cabe a quem está analisando ver pelo lado correto. E há mesmo um lado correto? E há alguma forma correta de dizer? De agir? De deixar de dizer? Acho que o modo correto é esperar. A vida é sempre uma incerteza e sempre será, temos de nos acostumar com o que seria e não foi, com o que não poderia ser e acabou sendo, todos os dias o mundo muda dentro da gente. E se muda dentro da gente, temos que nos acostumar com as mudanças dentro dos outros também. Por isso todo dia um novo ponto de vista vai se formando e cabe a nós manter a mesma postura pra não se deixar enveredar a cada dia pela nova disposição das coisas. Ao mesmo tempo é necessário flexibilidade para aceitar novas posturas e firmeza para não cair em contradições.

Isto posto, nada adianta planejar demais. Nos resta acordar todo dia e pensar “Que seja doce!”



Faz sentido pra você?

Oxala o dia todo seguisse essa temperatura amena das 7 da manhã, o mundo seria um lugar melhor pra se viver.



Acho que estou dominando o poder da atração do Segredo, hehehe, mas sério mesmo, as coisas estão relativamente bem. Não vou me sentir culpado por isso, mas acho que estou emanando as "good vibrations" necessárias.

Tava pensando ontem a tarde, onde estão as virtudes? Não se valorizam mais coisas virtuosas, nosso dia-a-dia fast food não nos permite almejar coisas que não geram lucro, reconhecimento a curto prazo e em geral são mais associados a dever do que a obrigação. Se a gente se considera parte do pensamento de nossa época já temos motivos sulficientes pra nem querer saber das virtudes, das qualidades que demonstramos na nossa vida e impactamos na vida dos que nos cercam, porém, contudo e entretanto não podemos esquecer que o pensamento da nossa época é vazio de sentido. Quando nossos valores são em primeiro lugar estético e/ou monetário, não tarda a nós sentir o peso duma filosofia superficial e que não resiste a uma reflexão infima, se mostrando insensata em seus valores e permissíva de uma maneira que impede uma convivencia em sociedade saudável.
Mas que se dane isso tudo. Eu admiro pessoas virtuosas, pessoas pacientes, que dedicam seu tempo a semelhantes...era só isso que eu ia falar. As virtudes ajudam a dar coerência entre o que acreditamos ser correto e o que de fato praticamos, ou seja, fundamental pra dar sentido nessa existência, que quando deixada muito a vontade, tende a uma grande falta de sentido.

10 fevereiro, 2010

Menos é mais



Acordar as 6:12, levantar as 6:20. Banheiro, café, dúvida: "to be very lover or not to be"? Desce rua, anda no mato e passa os carros. Pronto, dedo reconhecido e horas de obrigações. Todo dia, tem almoço, tem horário mas nem todo dia esforço. Vai, volta e depois de novo. Mas preciso eu mais? Não é normal se estar feliz e satisfeito, em certos momentos do dia posso dizer que sou pleno, por um breve período de tempo é verdade, mas pleno como a maioria parece nunca se sentir. Podem não concordar, alias soa loucura, mas eu penso muito no menos, acredito no menos que é mais, quando tinha menos aproveitava mais, é estranho e um pouco irresponsável. É o que penso, é lindo e subversivo. O menos que é mais!

09 fevereiro, 2010

A grande chance

ONTEM MESMO EU TIVE SAUDADE
DO TEMPO QUE EU ACREDITAVA
NÃO CONHECER ME FAZIA CRENTE
A VISTA TURVA DE UM APRENDIZ

MAS PASSA O TEMPO E A GENTE MUDA
A PRESA FACIL VIRA UMA PAREDE
NESSE PROCESSO DE SE FAZER GRANDE
É QUE SE PERDE A NOSSA GRANDE CHANCE
DE MUDAR, DE MUDAR


O CORAÇÃO SE TORNA PEDRA
SE A GENTE ESQUECE DE USAR
PIOR QUE O GRITO REVOLTADO
É NÃO DEIXAR-SE ABALAR

Refrão

É SER NEUTRO A SEU REDOR
É SER SURDO PRA RAZÃO
A MAIS TERRIVEL DAS PRISÕES
É NEGAR NOSSO DOM DE PENSAR


Letra e Musica: Luiz Henrique da Silva Mussio (03/2009)

Veja essa musica e outras tocadas ao vivo no Myspace da Maria da 2ª Distração

08 fevereiro, 2010

Na presença do divino a cada pôr do sol

Abro com a vontade louca de transcrever algumas coisas que lembrei de devaneios passados, mas minha vida é piada pronta e no momento que começo a escrever toca a campainha e alguém veio trazer um galo. E onde colocar um galo? Acho bem estranho recepcionar um galo em minha residência, morar no mato é uma ficha que ainda não caiu e eu me surpreendo com esse mundo animal a cada dia.

Pois então.

Tenho entrado em conflito com meu lado espiritual e sou um poço de crenças de vários segmentos. Como o Luiz comentou, sou a pós-moderna das religiões. Um pouco de umbanda, um pouco de espiritismo, um pouco de catolicismo, um pouco de bruxaria e ainda um tanto quanto esotérica. Aí né, que mesmo não acreditando numas par de coisa, eu piro em outras fortemente. E esses dias comentei com uma amiga sobre o poder de São Jorge e como eu acreditava nele como santo, tanto quanto Santo Expedito. Mas São Jorge é renegado né, e é do Corinthians! hohoh
Fugi um pouco do foco com o São Jorge, porque a minha idéia era falar sobre o Santo Expedito, o santo das causas impossíveis. Segundo minha mãe, o santo que me fez passar no vestibular (you got it?) e eu atribuo a ele a paz advinda de um período conturbado. Não sei o que me fascinou tanto em Santo Expedito mas lembrei esses dias que ano passado o dia mais foda foi o dia dele e quando eu me tornei devota (muito forte mas não me veem outro termo) eu prometi a ele alguma coisa mas sabe, eu não sei lidar com essa coisa de promessa, eu não acredito que um santo cobre de você alguma coisa. O importante é isso, pelo menos em Santo Expedito eu acredito (e na rima também!)

E sabe? EU PERDI COMPLETAMENTE O FOCO e esqueci pra onde eu queria ir com esse post. alguém tem alguma sugestão de como eu faço pra escrever o que eu penso antes de esquecer tudo?!


04 fevereiro, 2010

Shangrirrebents

Imagem kibada do www.kibeloco.com.br

03 fevereiro, 2010

Going Up the Country

Pois então, acabo de chegar em casa e saber de uma pequena bomba familiar. Nunca tive um mal relacionamento com a minha irmã, e acredito que ele só tem melhorado ao longo do tempo conforme ficamos mais velhos e respeitamos mais um ao outro, e vejo que estamos pra entrar num momento de maior aproximação daqui pra frente.

No mais tudo em ordem, ando leve por ae, com a cabeça flutuando sobre os ombros de uma maneira que não estou acostumado. Feliz e ansioso ao mesmo tempo, caminhei hoje ao som do "Como é que se diz eu te amo" da Legião Urbana e fiquei pensando nas infinitas possibilidades que a vida nos oferece, onde num momento estou triste com a miséria que é a nossa condição humana e em outro já estou feliz por me encontrar num sorriso de uma menina especial.

Pois é, 2010 promete e cabe a mim cumprir a parte que me cabe.

Voltar ao trabalho depois das férias é meio embaçado, mas de uma certa forma aquelas pessoas que eu não escolhi já fazem parte da minha vida, e fico feliz em reencontra-los, são pessoas que me fazem crescer pois o contato com outros universos distintos do meu é rico, as vezes tenso, mas sempre rico.

e agora o titulo do post será exclarecido, musica muito boa, abre o video do woodstock...

Going Up the Country - Canned Heat

29 janeiro, 2010

LOUCAAA, puta louca

Daí que quando a insanidade toma conta do meu ser é foda.

olha, surto mesmo. e tou surtando aqui sozinha querendo sair correndo gritando, chorando, rindo e sei lá surtando mesmo pra fora, assim pra dentro é angustiante.

não saberia dizer se é felicidade demais, ou felicidade de menos por se contentar com tão pouco e já ser felicidade absoluta. talvez felicidade seja assim muito forte, vamos colocar como alegria momentânea do choque com a nova perspectiva.
daí que muda tudo, não muda? ou não muda nada, mas o nada já seria uma mudança. talvez a própria constatação de que é só isso: nada.

na real consigo pensar em descrições belas pra minha loucura neste instante, mas quando paro e penso são todas cópias de trechos do caio fernando abreu, como se já tivesse escrito de forma perfeita por ele que eu não conseguisse usar minhas próprias palavras.

na boa? odeio esses momentos que tudo que eu precisava antes era ficar sozinha comigo mesma na minha cabeça e de repente acontece alguma coisa e eu surto e fico ansiosa e quero tanto conversar com alguém pra falar até esgotar. mas pensando bem, melhor né, galera já anda cansada de tanto que falo. até porque agora eu venho aqui e falo falo falo e só lê quem quer.

e acho que vou parar, percebi que falei muito porque durante o texto e não preciso justificar tanto esse amor e essa loucura.

27 janeiro, 2010

Respirar o novo

Cá estou em Marilia. Quero viver mais em 2010, ser mais sincero comigo mesmo e com as minhas escolhas, e acho que estou no caminho...

Sem muito o que falar, férias me deixa a parte do mundo, só sei do meu mundinho esses dias e no meu mundinho tem rolado muito esse som abaixo:
Bill Withers - Ain´t no Sunshine

25 janeiro, 2010

Caminhos

Não quero o mais fácil, nem o mais caro. Quero que o meu caminho, mesmo que muitas vezes andado as tontas, tenha um sentido. Eu quero ter a paz de quem sabe onde está indo.

Eu já não sei exatamente o que eu quero, como acreditei que saberia nessa altura do campeonato. E não acho que perdi tempo ou me tornei menos por isso. Acho que cresci, sei o que eu não consigo conviver bem, sei quem eu quero a minha volta, e isso veio com o tempo, veio aprendendo e principalmente errando. Errar é fundamental pra se conhecer, quem não erra vive a experiência dos outros...

24 janeiro, 2010

"Eu quero uma ideologia que não me faça pensar"




(www.malvados.com.br)

Acho que aqui também é lugar de propagar coisas boas. Sou apaixonada pelo Dahmer desde tempos, nem lembro mais quando. Sempre tirinhas incríveis e de uma ironia e humor negro que me comovem.

Amanhã começa a Campus Party e eu só fico pensando o quanto queria pertencer mais fortemente a esse mundo virtual, quer dizer, pertencer mais do que pertenço seria a insanidade, digo no sentido de poder viver pra isso. De ter que ir no Campus Party a trabalho ou coisa assim, de precisar estar na internet pra trabalhar. É o único emprego que eu consigo visualizar que junta trabalho e paixão mas ao mesmo tempo me parece muito platônico, talvez por ser paixão demais. Ae eu te pergunto, e ae? COMOFAS
Fazendo né, já me diria o Luiz com certeza.

Então, tamo aí.

21 janeiro, 2010

Férias...pão, vinho e circo!

De férias...o curto período em que posso me permitir não ter rotina.

Gravando o Mormaço, um pouco decepcionado com a realidade do que é um homestudio incompleto. Mas sem problemas, afinal a gente precisa saber usar o que está na nossa mão e lamentar agora ia ser bobeira.

Blues da Distração, Microondas e Lista do Bem já estão avançadas, resta apenas a batera pra fechar.

Sexta voltamos aos estudos numa prova sobre uma grandiosa brisa financeira, que afinal de contas, só servem pra deixar mais nebulosas a realidade economica do nosso mundo. Hysteresis, Back to back, securitização e ECA(a outra) são por mim lidas mas muito pouco compreendidas. Acredito que se Sócrates desmascararia qualquer investidor, economista ou presidente de banco em pouquissimas linhas de conversa, porque taí uma coisa que não é muito clara nesse mundo. Dinheiro mesmo não circula, titulos são lastreados a ativos de alto rendimento e de repente eu já nem sei mais sobre o que eu estava lendo...e nesse papo de louco a gente percebe que não é só a gente que se sente assim, as regras mudam o tempo todo, pra que? Pra só entender o que acontece de verdade um ou outro maluco, que da as cartas e fala o que tem que ser feito, e um exército de patos começa a comprar títulos imobiliários que ninguém sabe quem comprou, quem fez de fato a divida, porque já passou por mais mão que maçaneta de banheiro.

18 janeiro, 2010

Construindo razões

Qual é a dor maior que eu posso aguentar?
Do coração que suas palavras cortaram
ou da sensação de nunca tentar?
Se o vencedor teve que esconder a dor,
e sorrir quando queria chorar
Nele não encontro valor
nem razão pra deixar-me guiar.

16 janeiro, 2010

Um salve para o distanciamento crítico.

Primeiramente o salve é em menção ao querido Zina que hoje acabou sendo preso de novo e pelo que vi nas notícias era por atirar pra cima e olha, nem sei. Na primeira prisão foi por dar tiro de baixo, agora joga pra cima, tipos revida?! Um salve pro Zina.

E o distanciamento crítico é a alma da salvação. (não é pra tanto mas outras palavras não me veem)
Se tem uma coisa que tem me acontecido constantemente é lidar com situações que outras pessoas estão vivendo e que há alguma conexão com o que já vivi (ou pelo menos a solução para as situações era a mesma) porém quando visto o problema de outrem, a resolução chega a ser banal do NOSSO ponto de vista. Mas você NÃO consegue resolver facilmente se a situação for na sua pele. Não é?

e eu me proponho a terminar isso depois, porque travou simplesmente. mas fica o ínicio.


14 janeiro, 2010

Macro e micro.

Completei 25 anos agora em Dezembro. Foi um baque, uma ancora que prendeu meus pés no chão e me fez lembrar que até pouco tempo, quando ainda não tinha a pouca autonomia que tenho, imaginava o que seria da minha vida aos 25 anos. Não sou nem parecido com o que imaginava ser minha vida aos 25.

Não é de todo mal, nem é fruto do acaso, e é por isso que o post chama-se macro e micro. As grandes mudanças da sociedade(macro) são determinantes no nosso cotidiano(micro). Aos 25 anos meu pai estava casando e minha mãe já era, bem, minha mãe já era minha mãe nessa idade. Por isso tantos conflitos, por isso a preocupação da geração que nos colocou no mundo com o nosso futuro, mas não da pra voltar atrás, como se o passado fosse lindo e glorioso e o futuro apenas trevas, isso é um erro, se não estamos bem hoje é resultado de um passado que não foi feito da maneira certa.

A gente ta correndo atrás do desenvolvimento aqui no Brasil. Que bom. Os países desenvolvidos são muito legais...pra passar férias. Mas sacrificar nossa vida pra chegar num ponto em que as desigualdades serão maiores, o consumo de drogas será maior e a violência e o caos urbano vai ser o preço que a grande maioria vai pagar pra que poucos tenham um futuro mais confortável(que não significa de forma alguma mais feliz).

Fazer o que se estamos dentro dessa realidade?
Eu gosto de desencantar as pessoas...de faze-las pensar um pouco mais sobre o que estamos correndo atrás...mas enquanto isso, estou correndo atrás, e está ai um grande paradoxo na minha vida...to correndo em direcção ao que eu não quero, mas pelo menos eu sei pra onde estou correndo.

13 janeiro, 2010

Let it be

Lendo a postagem mais recente da Talita me fez pensar sobre as consequencias de adotar uma postura muito critica em relação ao mundo, e como ela mesmo disse, já falamos sobre isso.

A critica tem seu papel e importância na vida de todos nós, nos mantém atentos ao nosso proceder, nos leva a uma reflexão muitas vezes positiva, mas como tudo nessa vida apresenta uma dualidade a ser ponderada, pois em excesso ela leva a inércia, já que o "ser criticante" passa a temer encontrar outrem que, como ele mesmo, julga tudo e todos ao seu redor, surge então o medo de não ser aprovado e a consequente paralisação, a pessoa já não faz o que quer, mas sim o que acredita que os outros esperam dela.

Acho que a empatia salvaria o mundo, se colocar no lugar de uma pessoa, apesar de não ser fácil, nos apresenta um mundo novo, um ponto de vista onde tudo pode ser diferente e que não deve ser ignorado. Antes de julgar, precisa entender o alvo do julgamento, por mais que isso pareça inútil. Precisamos aprender que não existem vilões e heróis, tudo depende do ponto de vista, e isso é muito importante e difícil de assimilar.

No mais e mudando de assunto vou colocar aqui pra vocês a letra de uma musica que eu gosto demais, é dos Rolling Stones e chama Time is on my side e ela é foi uma das primeiras musicas dos stones que eu gostei, isso numa epoca em que eu só ouvia punk rockzinho:

Time is on my side - Rolling Stones

Time is on my side, yes it is
Time is on my side, yes it is

Now you always say
That you want to be free
But you'll come running back (said you would baby)
You'll come running back (I said so many times before)
You'll come running back to me

Oh, time is on my side, yes it is
Time is on my side, yes it is

You're searching for good times
But just wait and see
You'll come running back (I won't have to worry no more)
You'll come running back (spend the rest of my life with you, baby)
You'll come running back to me

Go ahead, go ahead and light up the town
And baby, do everything your heart desires
Remember, I'll always be around And I know, I know
Like I told you so many times before
You're gonna come back, baby
'Cause I know You're gonna come back knocking
Yeah, knocking right on my door Yes, yes!

Well, time is on my side, yes it is
Time is on my side, yes it is

'Cause I got the real love
The kind that you need
You'll come running back (said you would, baby)
You'll come running back (I always said you would)
You'll come running back, to me

Yes time, time, time is on my side, yes it is
Time, time, time is on my side, yes it is
Oh, time, time, time is on my side, yes it is
I said, time, time, time is on my side, yes it is
Oh, time, time, time is on my side
Yeah, time, time, time is on my side


"Pedra que rola não cria limo" Muddy Waters

12 janeiro, 2010

BBBitolando

Então, mais um BBB no ar.

Esse programa me faz entrar numa contradição constante mas eu gosto e gosto MESMO. Assisto desde a primeira edição e sempre nessa relação amor/ódio. Porque o BBB é uma extensão da realidade, a manipulação dominando a mente e todos seguindo conforme a música. O público compra o posicionamento das edições na TV e tudo é orquestrado pelo grande Boninho. Mas há um porém, acho que esta edição será diferente visto que a influência da internet está mais do que colocada quando se colocam dois SUPER hypes da net. Ano passado já vejo que a opinião foi meio dividida e o final não era tão claro como em edições anteriores, na internet a diversidade de opiniões muda completamente o cenário da manipulação (apesar de haver do mesmo modo, visto que gente babaca é babaca em qualquer lugar).

Mas meu objetivo nem era comentar sobre isso, todo ano eu fico justificando porque gosto de BBB e POR QUE?
Não sei o porquê exato mas eu tenho um forte pressentimento que seja o grande fascínio pelo comportamento humano.
Não era isso que queria discutir também, o BBB era só um ponto de referência de uma das tantas coisas que eu tenho vergonha de assumir que gosto por ter adotado uma postura, um pensamento que nem me pertence mas que eu fiz pertencer. Vejo cada vez mais o quanto esperar pela aprovação das pessoas me fez insegura e essa metamorfose ambulante. Então, cansei, eu não sou intelectualóide que queria ser, não sou cult como queria ser. Afinal, esse querer ser nada mais é do que aparência e defesa. O medo nos faz criar essas máscaras, eu sou diferente da maioria das pessoas mas não preciso me enquadrar em algum modo de pensar e isso tem me libertado muito, o simples fato de constatar isso.

Tá, mais uma vez eu entrei no "querer ser" mas no sentido mais realista agora, eu só queria não sentir tanta insegurança e tanta vergonha de ser eu. Ou melhor, como o Luiz mesmo fala, eu queria não ser tão crítica e desse modo auto-crítica.

Também queria falar sobre o BBB e dessa vez a inclusão de gays assumidos e a divisão entre tribos, essa coisa bem segregadora e rotuladora MESMO mas fica pra próxima. Vou formular melhor isto.

confusa mas nem tanto. ou não.

Valendo...

Eu não acredito em signos(a Talita sabe), mas hoje recebi um e-mail em que a descrição do signo era dada num tom de crítica ácida e me chamou a atenção a descrição do meu signo. Fala que o capricorniano fica muito no campo do planejamento, da critica e muito pouco coloca em prática, e isso compromete tudo, acaba sendo um eterno sabe tudo que nada faz. Acho que isso não é um defeito exclusivo do capricorniano, mas me fez refletir, tenho tentado tirar meus planos do campo das idéias e coloca-los em prática, mas isso me consome demais, me deixa sempre atarefado e atrasado...sera que se eu fosse de Peixes ou Sagitário seria mais fácil materializar os pensamentos? Torna-los realidade? Duvido muito, mas pra algo serviu esse e-mail que recebi hoje.

Falando em tornar realidade, tenho debruçado sobre a gravação da minha banda constantemente, ainda não consigo ficar satisfeito com o resultado e temo nunca ficar...sou meu maior critico, apesar de aceitar minhas limitações após algum tempo e me conformo com o resultado inferior ao que desejava, seja por questões tecnicas ou de execução por parte dos integrantes, porque no fim das contas acredito no potencial de algumas canções que, creio eu, podem ultrapassar as barreiras tecnicas se forem tão boas quanto acredito.

No mais é isso, quero manter postagens constantes aqui, senão abandono....

11 janeiro, 2010

O que nunca inesperei

Só o fato de este blog existir já é um super avanço no fazer de cada coisa que tem que ser feita neste mundo por mim. Ou não, é só mais um eufemismo recorrente meu.

Mas queria primeiramente agradecer ao Luiz Mussio por idealizarmos e botarmos em prática um projeto que será de grande sucesso, assim espero. (tou boa na arte de politicar hein)
Mandar um beijo pro meu pai, pra minha mãe e especialmente pra você (resquícios de infância feliz ou nem tanto)

O fato é que devemos falar porque é issae que o Luiz disse, pensamos demais, falamos demais e botamos no papel quase nada o que nos faz esquecer muito, quem sabe não consigamos realmente botar em prática idéias geniais que não são lembradas posteriormente. Eu, como promessa de ano novo até já coloquei um bloquinho de notas na bolsa e pretendo anotar mais pra poder escrever depois.

Tou fazendo este aqui como post inicial mas depois eu escrevo de forma mais bonita e eloquente (caiu o trema né né?).

Mas o título do meu post podem dizer que sou burra, sei lá, mas foi uma grande pérola do dia afinal "aconteceu algo inesperado, algo que nem inesperava mesmo.." e assim aconteceu e depois disso sabe-se lá o que será.

Mas começamos, de algum modo, alguma coisa começa este ano.

10 janeiro, 2010

Aqui começa

Primeiro post. Ano novo, blog novo...
primeiro passo foi fazer o blog...se ele não ficar esquecido em breve teremos postagens e talvez uma linha que poderemos seguir...

O certo é que pensamos muito, falamos muito e não escrevemos quase nada e o blog ta aqui pra resolver essa falha de registro

Cof Coffe sou eu, Luiz Mussio e Talita Pontes